6 dicas para aprenderes a gerir as tuas emoções

6 Dicas para gerires as tuas emoções

A capacidade de sentir, experimentar e expressar emoções é mais importante do que à partida possamos pensar.

Como resposta do sistema nervoso a uma determinada situação externa, as emoções desempenham um papel fundamental no nosso processo vivencial. Quando temos uma relação saudável com elas, quando estamos em sintonia com elas, são elas que nos ajudam a tomar decisões correctas, a ter sucesso no campo dos nossos relacionamentos, a sentirmo-nos assertivos nas nossas interacções do nosso dia-a-dia e acima de tudo, ajudam-nos a colocarmo-nos em primeiro lugar quando falamos de auto-cuidado.

Apesar deste papel crucial que as emoções têm na nossa vida, não as conhecer, não saber relacionarmo-nos em elas, pode ter um efeito dramático para nós. E podem surgir problemas de vários quadrantes, como diminuição da nossa saúde emocional, facilidade em entrar em relacionamentos tóxicos, compactuar com comportamentos de adição etc.

Inclusivamente as emoções ditas positivas podem ser tão intensas que podemos mesmo chegar a não saber controlá-las.

Então o que fazemos?

Existem vários estudos feitos a este nível (psicologia e neuropsicologia) que sugerem que ter uma boa gestão e saúde emocional nos ajuda a atingir um estado de homeostase, de bem-estar geral que nos faz sentir confiantes, felizes e realizados e (pasma-te) a ter sucesso e realização profissional.

Então, vou deixar-te 6 dicas para começares a entrar em contacto com as tuas emoções e aos poucos começares a familiarizares-te com elas:

1 – ENTRA EM CONTACTO COM AS TUAS EMOÇÕES

Vamos começar pelo início. É bom sentir emoções, é bom sentirmo-nos a rebentar de alegria e de entusiasmo, e até a própria dor e tristeza têm lugar a ser sentidas (não metidas debaixo do tapete).

O problema começa quando todas emoções borbulham dentro de nós, confundindo-nos e deixando-nos doentes. (E há vários sinais que demostram que estamos nesse ponto: dificuldades do trabalho ou nos relacionamentos sociais, necessidade de tomar medicamentos para gerir as emoções mais fortes, explosões de raiva ou de tristeza, etc).

É verdade que não existe um botão que ligue ou desligue as nossas reações emocionais, mas há um mecanismo regulatório que é altamente importante saber usar. O botão que te responde à seguinte pergunta “O que estou eu a sentir”?.

Tomares a consciência do que sentes dá-te poder, porque lentamente começas a entrar em controlo da emoção e não a reprimi-la (O que só faz com que se torne mais forte).

2 – ACEITA O QUE ESTÁS A SENTIR

Quando reprimimos o que estamos a sentir estamos a retrair-nos de viver e experimentar o que precisamos de viver. Ao mesmo tempo, vamos colocando um tampão nas nossas emoções. E isto tanto pode acontecer conscientemente ou inconscientemente.

Contudo, essa repressão tem um preço. Quando menos lidares com as tuas emoções mais sentirás ansiedade, depressão, problemas de sono, tensão muscular e dores, dificuldade em controlar o stress, etc.

Uma boa saúde mental e emocional implica que assumas o que sentes com honestidade e encontrares o teu equilíbrio entre teres explosões emocionais ou não ter nem mostrar quaisquer emoções.

3 – ESCREVE

Sabemos que a escrita nos liberta. Mesmo que mentalmente não faça sentido, colocar as mãos à obra e deixar a caneta voar, sem crítica nem julgamento é um excelente exercício para a mente e para as nossas emoções.

Desta forma, consegues ir descobrindo quais os padrões de comportamento e quais os gatilhos que estão associados às tua emoções. Quanto mais escreveres, mais vais aprofundando o teu próprio conhecimento, e assim, melhor vais conseguir, no futuro, aprender a gerir as tuas emoções.

  • 4 – SÊ COMPASSIV@ CONTIGO

Nem sempre este é um passo fácil para nós. Sentimos as emoções a tomarem conta de nós, e muitas vezes sentimo-nos envergonhados por as sentirmos, embaraçados por termos reacções tão “primárias”. Lembra-te que todos somos humanos, e é NORMAL senti-las. O que é necessário é que te dês espaço e o tempo necessário para que as conheças e que as processes de forma saudável. Se tens o hábito de reprimir as tuas emoções é natural que ao início demora algum tempo, mas com a prática serás capaz de distinguir o que sentes e porquê. E isso dá-te poder!

  • 5 – ANTECIPA SITUAÇÕES GATILHO

Quanto mais te conheceres, e quanto mais próximo do teu mundo das emoções estiveres, mais fácil vai ser identificar quais são as situações gatilho. Quais são as situações que te fazem ter explosões ou implosões emocionais: O contacto com determinado tipo de pessoa, passar por determinadas situações, realizar determinadas tarefas.

São apenas gatilhos, situações que, quando és colocada nelas, reages de forma emocional. Mas de uma forma emocional que não te beneficia. Apenas te traz mal-estar e mais sofrimento do que o necessário.

Assim, quando conheceres os teus gatilhos (conversas com o teu empregador, receber cartas das finanças, intervir numa discussão entre dois ente queridos, etc) , tu vais ter tempo para antever essas situações e preparares-te. E esta preparação passa por aplicares duas estratégias infalíveis:

1 – A primeira é respirares, de forma abdominal, de maneira a activares o teu sistema nervoso parasimpático.

2 – Seres assertiva em relação ao que deves dizer, e quando. Ao ganhares alguma distância emocional em relação à questão em causa, sabes que vais ter controlo na tua resposta emocional, sem a suprimires, nem a negares 😉

  • 6 – MEDITA

Sabemos que a meditação é um ponto chave no nosso controlo emocional. Meditar com regularidade ajuda-te a co-habitares com as tuas emoções, sem julgamento, sem forçar nada. Apenas com a habilidade de detectar e não sucumbir a essas mesmas emoções de que, por vezes, nos apetece tanto fugir. Meditar empodera-te, e é isso que procuras!

E lembra-te, a maior parte dessas sitações não são pessoais, contra ti; são apenas reacções de ouras pessoas que não sabem estas dicas para lidar com as suas próprias emoções 😉

Até já, Clara

Compartilhe :)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Leia mais...

Os 8 benefícios do journaling

Como é que esta prática simples te pode ajudar a superar desafios pessoais? Sem saber, toda a minha vida fiz journaling. De forma mais ou